a escola de belas artes de pernambuco

A Escola de Belas- Artes de Penambuco

Pernambuco e o começo de uma era.

Como prometido, aqui vou falar um pouco sobre a Escola de Belas Artes de Pernambuco. Havia uma necessidade de um lugar onde a arte pudesse ser ensinada, e isto foi fomentado por diversos artistas ao longo do século XIX. Em  1888 o arquiteto Herculano Ramos aventou a ideia de criar uma escola. Porém, não houve um esforço político de articulação junto ao Império, a ideia foi abandonada. Ao raiar do século XX, pintores como Telles Junior, Balthasar da Câmara, Mario Nunes e àlvaro Amorim mais uma vez levantaram a ideia de uma escola com padrão similar da Escola Nacional de Belas Artes. A semana de arte moderna de 1922 deixara seu rastro de fogo no coração dos artistas de todo o país. Já era hora de recife adquirir seu direito ao ensino da arte.

Mas não foi sem luta esta conquista. Os artistas, estudantes de direito e intelectuais em geral engajados fizeram um esforço hercúleo em busca de dinheiro. Patrocinatos,doações e mesmo móveis, que tiravam de suas próprias casas ou bolsos, tudo por amor à arte. O Liceu de artes e Ofícios cedeu algum material também, que enriqueceu o patrimônio. As reuniões eram feitas no atelier do pintor Mario Nunes: Formava-se uma comissão de diretoria provisória. Por fim, conseguiram alugar um casarão  conhecido como o “Solar dos Amorim”, situado no numero 150 da Rua Benfica, no bairro da Madalena. Fizeram um contrato por dois anos e, a posteriori, o Governo do estado adquiriu o casarão e doou para a escola.

Escola de belas Artes- 1932

 

A Escola

 

A Escola de Belas Artes de Pernambuco abriu suas portas em  20 de agosto de 1932. Para a matrícula como aluno, era necessário ter mais de 15 anos, certificado de conclusão do ensino fundamental e aprovação pelo exame realizado previamente na escola. Na primeira inscrição, 80 alunos se candidataram, o que prova o quanto era ansiado um curso na área.

Atelier de desenho e observação executado a carvão.

Em 1946 foi criada a Universidade de Recife ( pré UFPE). A Escola de Belas Artes, a convite do então reitor Joaquim Amazonas,  se incorporou a ela juntamente com a Faculdade de Direito, a Escola de Engenharia, a Faculdade de Medicina e a Faculdade de Filosofia. Os professores que até então trabalhavam pro bono, passaram a receber um salário regulamentado. Em 1976, a Escola de Belas Artes de Pernambuco foi extinta para, juntamente com a Faculdade de Arquitetura, o Departamento de Letras e o Curso de Biblioteconomia, formar o Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco. Ainda funcionam, no belo prédio do benfica , cursos de arte em extensão. Estes cursos são vinculados ao departamento de teoria da arte situado no Centro de Artes e Comunicação da UFPE.

Um longo caminho trilhado pelas artes em Recife e em Pernambuco. Caminho com bases plantadas pela iniciativa de artistas corajosos que souberam lutar pelo direito de aprender, de ensinar a arte.

Falo um pouco da experiência de minha madrinha na Escola de Belas Artes AQUI.

Posted in Curiosidades, História do Recife.