palhaço do coqueiro

O Palhaço do Coqueiro do Janga e o Medo de Palhaço – Origens e Lendas

Palhaço é a "alma" do circo, correto? Conheça aqui neste post a origem dos palhaços, sua integração ao circo, o medo de palhaço e nossa assombração mais nobre: O palhaço do Coqueiro do Janga!

Origem do Palhaço e Sua Integração ao Meio Circense

palhaço     

        O termo "palhaço" tem origem na palavra italiana "Paglia", ou palha: antigamente, os colchões eram recheados de palha. Os primeiros palhaços usavam tecidos de colchão e palha para fazer suas roupas, como se fossem espantalhos vivos. isto os protegia nos pulos e piruetas.

        A história dos palhaços é tão antiga quanto a tradição do circo. A palavra "Clown", que tem origem inglesa, surgiu no século XVI. Provavelmente tem origem no termo CLOD, que significa camponês, rústico ligado à terra.
      

Desde a antiguidade, os palhaços estão entre nós...

palhaço     

       
       Há relatos de palhaços semelhantes aos modernos, datados de 2.500 A.C., no antigo Egito. Podemos citar também os palhaços no oriente ou os Lubyet, bobos da corte Chinesa, que possuíam até mesmo o poder de influenciar os reis. Na Malásia, temos os P'rang , que usavam máscaras de bochechas vermelhas e grandes sobrancelhas.
        Na Grécia e Roma, os palhaços se apresentavam após a tragédia, parodiando. Na idade média, os teatros foram fechados,e bufões se apresentavam em praças públicas e feiras. Ao final da Idade das Trevas, os teatros foram reabertos, e os bobos da corte, reabilitados aos palácios.
      No século XVI começa o período da Commedia dell'arte, que populariza o palhaço estilo BRANCO, ou seja, mais aristocrático. É um palhaço vestido ricamente com lantejoulas e gorro pontiagudo, cara branca e pouca maquiagem. O caso do Pierrot, Arlequim, que fazem brincadeiras elegantes.
         Com o renascimento do circo moderno, em 1766, o palhaço ganhou maior visibilidade. Surge o palhaço “augusto”,ou TONY- tonto, desajeitado e extravagante. O tipo Tony é o mais difundido no Brasil.
        Mas quando foi que o palhaço começou a ser associado ao medo, e ao terror? Veremos a seguir.

O Palhaço no Terror

       O medo de palhaço, ou Coulrofobia é algo real. Ligado à traumas na primeira infância, pode ser começado por uma violência, ou se a criança for forçada a ficar perto de um palhaço, ou no colo dele. Como tantos medos e fobias, é algo enraizado. O medo pode estar relacionado às fantasias que se gera a partir destas roupas e maquiagens exageradas, da mesma forma que muita criança tem medo do Papai Noel.
       A verdade é que, uma entidade personificada, como o palhaço, pode sim assustar. O caso de John Wayne Gacy é um dos mais conhecidos. Pogo The Clown era um palhaço de certa fama nos EUA, mas por baixo de seu sorriso simpático residia um seral killer. Entre 1972 e 1978. Ele afirmou que matou 45 pessoas, entre adolescentes e crianças, e foram confirmados 33 destes crimes. John Wayne foi executado por injeção letal em 1994.
        Na literatura, podemos citar o caso do livro IT- A Obra Prima do Medo, de Stephen King, que também gerou, na ocasião de sua publicação, uma onda de medo generalizada. Fato este apenas conseguido antes por Hitchcock, em Psicose (quando se difundiu a fobia de chuveiros).
        A um certo tempo atrás, em outubro de 2016, uma nova onda de palhaços assustadores surgiu nos Estados Unidos. Foram vistos palhaços no interior de Kentucky, Indiana e Kansas. No Texas e no Alabama, houve fechamento de escolas e a polícia fez uma série de prisões.
O fato de estar por trás da persona faz com que as pessoas fantasiadas sintam-se mais livres para cometer crimes, ou mesmo assustar. Em Pernambuco, temos o nosso palhaço assustador, também !

O Palhaço do Coqueiro do Janga

       A lenda do palhaço do coqueiro do janga é terrível e trágica ao mesmo tempo.
 Havia perto da praia do Janga um excelente palhaço. Ele contava piadas, fazia piruetas, e todo mundo o admirava, e morria de rir com suas palhaçadas. Era um sucesso!
      O seu maior fã, no entanto, era o próprio filho. O garoto sonhava com o dia em que iria crescer e poder seguir os passos do pai. Assim que atingiu a idade adulta, ele tratou de começar a se apresentar. Mas, ao contrário do pai, foi um fracasso. Não conseguia fazer ninguém rir. Suas piadas, seus números, eram muito pouco divertidos. Todos os dias o rapaz chorava, pois nunca iria chegar aos pés do sucesso de seu pai.
      Aos poucos, foi perdendo o juízo. Um dia, após mais um espetáculo fracassado, ele saiu correndo desesperado na direção da praia. Já era noite e a lua ia alta no céu. Ao Vê-la, ele achou que fosse uma imensa boca, sorrindo para ele, no infinito.
       Para chegar mais perto de sua única fã, ele subiu em um coqueiro, e lá ficou, contando piadas e fazendo truques para o sorriso da lua. Conta-se que, após a morte do rapaz, o palhaço permanece no coqueiro. Quando, no entanto , vê alguém passando, ele desce e tenta fazer a pessoa rir. Não conseguindo, torna-se violento e bate na pessoa. Há relatos de mortes associados à aparição do temido palhaço do coqueiro da praia do janga...

 

     Gostou? Então curta e compartilhe, nos ajude a crescer cada vez mais . Visite nossa FANPAGE AQUI!

Posted in Assombrações, Assombrações do Recife, Bairros do Recife, Conto, Crônica, Curiosidades, Literatura, palhaços, terror.
  • YVY Comics

    Que história! Parabéns!